Londrina testa sistema de iluminação pública com energia solar

Investir em produtos que promovam a energia renovável também faz parte das ações da Sercomtel Iluminação. A companhia londrinense, estabelecida há seis anos, está iniciando uma fase de testes utilizando luminárias LED com capacidade para reter e converter energia solar em iluminação noturna.


Tratam-se de duas luminárias solares do modelo “SMD” (Surface Mounted Diode), que é mais versátil e otimizado por compactar espaços de componentes do LED. A Sercomtel Iluminação instalou os modelos, um de 120 watts e outro de 180 watts, numa rua que dá acesso a chácaras da região sul, onde deverá permanecer por tempo ainda a ser definido.


“Queremos ver se esses modelos atendem às nossas expectativas. Se forem aprovados poderemos estabelecer um processo de implantação em Londrina”, salienta o presidente da Sercomtel Iluminação, Luciano Kühl. Conforme disse, o LED solar, além de ser um produto ecologicamente correto, é ideal para ser implantado em locais onde ainda não há rede elétrica de baixa tensão que, evidentemente, alimenta as luminárias convencionais, “por isso resolvemos testar na região das chácaras”.


Kühl lembra ainda que, se os modelos forem aprovados, a sua utilização em escala poderá representar não apenas redução de custos com energia, mas também economia com cabeamentos e projetos.

“Trata-se de um produto de fácil instalação e substituição, é zero poluente”

Os modelos em avaliação por parte dos técnicos da Sercomtel Iluminação possuem tecnologia de primeira linha. Segundo o fabricante, cada unidade pode oferecer, se for preciso, fluxo de iluminação total durante 24 horas, entretanto, os modelos podem economizar energia e aumentar para 36 horas de fluxo luminoso através do acionamento de sensores de presença, reduzindo a capacidade de luminosidade em 50% quando não há trânsito de veículos.

Os sensores são ativados a 8 metros de distância de cada um dos lados. As unidades também possuem sistema de dimerização, para regular a intensidade luminosa, o que sugere eficiência energética. As unidades carregam mesmo sem luz direta do Sol. Até quando há mormaço a placa carrega normalmente. Só não carrega se houver escuridão total, por isso ela tem sempre a eficiência de 24 a 36 horas.

A bateria dos modelos em teste tem garantia de cinco anos.


PODEM SER AJUSTADAS

As luminárias foram desenvolvidas para serem híbridas (pode ser ligado na rede elétrica também). Elas ficam ininterruptamente ligadas à noite toda, mas, se for o caso, podem receber programações especiais (2, 4 e 6 horas) para deixarem ligadas com fluxo total em 100%.

Após, ela fica no modo sensor. A energia solar é renovável e está dentro dos conceitos preconizados pelas chamadas “smart-city”, cujo programa a Sercomtel Iluminação protagoniza em Londrina.

Hoje o Brasil tem 1,5% de captação de energia solar, mas deverá saltar para 10% de participação na matriz elétrica até 2030.




13 visualizações0 comentário