PPP de iluminação pública

Vereadores aprovam e DML permanece em Lajeado por mais cinco anos

Distribuição gratuita de absorventes e atraso na liberação de projetos de construção foram alguns dos temas debatidos na sessão desta terça

22/06/2021 - 23:36 Atualizada em: 23/06/2021 - 12:080




Na sessão ordinária desta terça-feira (22) da Câmara de Vereadores de Lajeado os vereadores aprovaram quatro projetos e rejeitaram um requerimento do vereador Alex Schimtt (PP). Uma das propostas aprovadas é a do Executivo que permite a continuidade por mais cinco anos dos serviços do Departamento Médico-Legal (DML) no município, com possibilidade de renovação pelo mesmo período. O texto foi aprovado por unanimidade, mas alguns dos parlamentares sugeriram a ampliação do prédio e a presença de mais peritos.

Na sessão, o vereador Márcio Dal Cin (PSDB) e presidente da comissão temporária especial que analisou o contrato de prestação integral e as entregas de serviços da Corsan entregou ao presidente da Câmara, Isidoro Fornari Neto (PP), o relatório que pede avaliação sobre a permanência do gerente da Corsan em Lajeado, Alexsander Pacico. Na entrega, ele aproveitou para dizer novamente que o documento não tem interesses pessoais ou políticos como foi levantando por alguns parlamentares na última sessão. “Quero reafirmar que não é um relatório politico, não é relatório pessoal, não apontamos o dedo para nenhuma pessoa, o que colocamos aqui é exatamente o que observamos na documentação”, declarou.

PPP de iluminação pública

Já o líder de governo, Mozart Lopes (PP), abordou na tribuna a criação do processo da Parceria Público-Privada (PPP) de iluminação pública. Conforme ele, o projeto deve ir ainda este ano para o legislativo e Lajeado pode ser pioneiro na PPP. “A prefeitura estuda um projeto sensacional. Temos 15 mil pontos de iluminação na cidade, arrecadamos em torno de R$ 260 mil e gastamos em energia com a Certel e RGE R$ 400 por mês. Em breve, uma empresa privada vai administrar esses pontos e temos a expectativa que o serviço seja auto custeado. Existe chance de Lajeado ser uma das pioneiras nisto”, explicou.

Atraso na liberação de projetos

Outro tema abordado pelos vereadores foi o atraso na liberação dos projetos pela Secretaria do Planejamento, Urbanismo e Mobilidade (Seplan). O vereador Lorival Silveira (PP) disse que conversou com o secretário da pasta, Giancarlo Bervian, para entender o motivo da demora. “Uma das justificativas do secretário é que são muitos projetos errados que entram na Secretaria. Estou solicitando quantos projetos entraram pela terceira vez consecutiva na pasta. Ele me relatou que tem projeto que chega na Secretaria seis vezes pra ser corrigido. O engenheiro também é uma pessoa formada, ele precisa ter cuidado em seu trabalho, não fazer de qualquer maneira e a prefeitura que corrija”, frisou.

Já o vereador Sérgio Kniphoff (PT) se dirigiu ao presidente da Casa, Isidoro Fornari Neto, que é engenheiro civil, e pediu apoio para solucionar o problema. “É importante que o senhor como engenheiro civil e presidente desta casa, que busque possibilidades, é uma demanda de toda a sociedade e da construção civil, que não sentiu o peso da crise mas sente o peso da burocracia, é uma demanda da economia da cidade”, explanou.

1 visualização0 comentário