Leds para racionalizar uso da energia elétrica

DCI


Julio Ottoboni

A Prefeitura de São José dos Campos criou o Projeto Iluminar. A acão visa trocar 75 mil lâmpadas das vias públicas por luminárias de Led, promovendo uma economia significativa nos custos de consumo, manutenção e na vida útil do equipamento, além de diminuir a poluição luminosa.

O programa teve início em julho de 2017, no primeiro ano da atual administração, com estudos e encontros técnicos. Os levantamentos demonstraram que São José dos Campos tem capacidade técnica e financeira de fazer a autogestão da troca do parque de iluminação pública. Com isso foi criado um projeto de financiamento e apresentado ao Banco do Brasil, que possibilitou o empréstimo de R$ 32 milhões. O valor será usado em 33% do parque da iluminação pública. Ou seja, 18 mil do total de 75 mil pontos de iluminação.

O alvo principal do programa é a iluminação de todas as vias públicas. No novo trecho da via Oeste, a mais nova ligação do anel viário da cidade, foram instaladas no início de fevereiro deste ano cerca de 100 luminárias de Led. Nesta primeira fase, prevista para ser concluída no primeiro semestre deste ano, serão instaladas outras 400 em avenidas de grande tráfego para avaliação da performance do equipamento. O total do primeiro lote é de 500 luminárias.

Economia

Está prevista ainda a instalação de outras 18 mil luminárias de Led entre julho de 2018 e julho de 2019. Serão ligadas cerca de 70 luminárias a cada dia útil, com preferências para corredores de ônibus, nas proximidades de escolas e das câmeras de vigilância do Centro de Operações Integradas.

A segunda e terceira etapas do processo virão na sequência e dependem ainda de avaliação de desempenho da mudança, segundo a Prefeitura de São José dos Campos.

Segundo os técnicos que cuidam do projeto, as 18 mil luminárias da primeira etapa gerarão uma economia que vai além do consumo direto, que é em média 40% menor. Isso porque uma luminária Led de 60 watts equivale ao desempenho de 100 watts de vapor de sódio. Assim, ela consegue gerar a mesma luminosidade com menor potência e consumo mais baixo.

Para evitar o desperdício, as lâmpadas que serão retiradas, como também reatores e foto células, serão devidamente armazenadas e analisadas para retornarem ao parque convencional como peças de substituição. Segundo a prefeitura, a manutenção dessas 18 mil luminárias será reduzida a praticamente zero. Os modelos escolhidos, além de terem tecnologia de ponta, suportam as intempéries e oscilações elétricas causadas por raios.

Na somatória destas vantagens, haverá uma economia anual de R$ 3,7 milhões quando todas estiverem instaladas, o que levaria a se pagar o empréstimo em menos de 10 anos. A economia irá aumentar linearmente com o número de luminárias instaladas.

Menos poluição

Outra novidade é que essas lâmpadas são inteligentes, capazes de promover a regulação da quantidade de luz emitida, o que diminui a poluição luminosa, uma das mais crescentes em todo mundo. Um software controlará a quantidade emitida por setores, reduzindo durante a madrugada, por exemplo, ou aumentando em áreas específicas como no entorno das câmeras de vigilância.

Neste ano, o consumo previsto e já traduzido em custos será de R$ 15,6 milhões e a economia que essa nova tecnologia é calculado em aproximadamente R$ 2 milhões. O que corresponde a uma economia de 12,8%, o que representa 46 dias de iluminação.

#iluminaçãopública #ppp

0 visualização0 comentário