Ainda sem assumir candidatura, Doria lança PPP de R$ 6,9 bilhões

Valor Econômico – Vandson Lima

O prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) anuncia hoje, às 11h, o resultado da licitação da parceria público-privada (PPP) da iluminação pública de São Paulo. Estimada em R$ 6,9 bilhões por todo o período de contrato, a PPP prevê a instalação de 650 mil lâmpadas de LED na cidade. “É a maior PPP de iluminação do mundo”, afirmou Doria ontem em Brasília, após almoçar com deputados federais de São Paulo. O Consórcio FM Rodrigues/CLD deverá ser declarado o vencedor da licitação. O Consórcio Walks, que também disputava a PPP, foi excluído do processo porque uma das empresas participantes do consórcio, a Quaatro, é controladora da Alumini, declarada inidônea pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU).

Cumprimentado como “governador” pelos deputados que o acompanharam em almoço em um tradicional restaurante da capital federal – todos fizeram questão de tirar fotos separadamente com ele -, Doria de início desconversou: “O pessoal aqui é bem humorado, né? Reina o bom humor e simpatia. Não sou candidato ainda”. Foi rebatido de imediato pela deputada Bruna Furlan (PSDB-SP). “Mas é a nossa vontade”.

Doria então afirmou estar ciente de que o prazo está se esgotando. “O relógio já está contando. Percebo a intenção e desejo dos parlamentares, mas temos quatro semanas para essa decisão”.

Pela legislação, é preciso se desincompatibilizar do cargo de prefeito para concorrer ao governo até o dia 7 de abril, daqui a exatamente um mês. Para além do calendário, o prefeito ainda precisará enfrentar a contrariedade de parte de seu partido. O PSDB conta com, pelo menos, três outros postulantes e realizará prévias entre os dias 18 e 25 deste mês.

Doria afirmou conduzir conversas com possíveis aliados, incluindo o DEM e o MDB, seja em prol da candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência da República, seja dele próprio como candidato ao governo paulista. “Temos de buscar o maior número possível de grandes e bons partidos. As conversas evoluem no plano nacional e regional”, disse Doria. O provável lançamento hoje da candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ) como concorrente de Alckmin, para Doria, tende a ser revisto futuramente. “Eu entendo o desejo do presidente Rodrigo Maia de lançar sua candidatura. Mas o tempo é o senhor da razão. O PSDB continuará de portas abertas para construir alianças”.

Provável adversário de Doria na prévia do PSDB para a escolha do candidato tucano ao Palácio dos Bandeirantes, o cientista político Luiz Felipe d’Avila também tem se articulado com outras lideranças políticas de olho na construção de alianças. Ontem, ele conversou com o deputado federal Rodrigo Garcia (DEM) sobre a formação de uma chapa conjunta.

“A ideia é estreitar os laços. Até para representar aos militantes que vão votar na prévia um contraponto em relação às especulações de que o ministro [Gilberto] Kassab será o vice do Doria”, disse d’Avila. Garcia, no entanto, negou qualquer acerto com vistas à formação de uma chapa com o cientista político e reiterou a intenção de concorrer na sucessão estadual. “Gosto do Felipe [d’Avila]. Porém, sou candidato a governador pelo DEM”, declarou. (Colaborou Fernando Taquari, de São Paulo)

0 visualização0 comentário